sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Desonra

Terminei de ler Desonra (1999) do sul-africano J.M. Coetzee. Peguei emprestado esse livro da minha irmã. Fazia tempo que queria ler algo desse autor tão elogiado. Não sei se lembram que comentei que minha irmã começou a ler autores que ganharam Prêmio Nobel. E Coetzee ganhou em 2003. Tentei inclusive comprar uma obra dele na Bienal do Livro, mas não havia nenhuma em promoção. Aí descobri que minha irmã tinha e peguei emprestado. Ela me avisou que era indigesto e realmente foi uma leitura muito, mas muito difícil.

Obra de Michael Maapola

Há muitas incoerências em Desonra. Um professor universitário é condenado exageradamente por ter se envolvido com uma aluna de 20 anos. Enquanto um estupro fica no silêncio por ser mais conveniente não mexer. É uma trama complexa, difícil, indigesta em uma sociedade cheia de ódios e vinganças entre brancos e negros. Uma violência exacerbada. Fiquei imaginando como um autor consegue escrever aquelas frases, reler e lançar uma obra tão intensa. Eu não consegui nem anotar trechos, porque meus dedos se recusavam a escrever aquelas palavras tão difíceis de assimilar.

Portanto anotei somente a frase inicial de Desonra de J.M. Coetzee:

“Para um homem de sua idade, cinqüenta e dois, divorciado, ele tinha, em sua opinião, resolvido muito bem o problema de sexo.”

Tanto a obra quanto a música são de autores sul-africanos.

Música do post: 15. South Africa - Mafikizolo - Majika



Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Oi Pedrita.

    Aqui em casa tem esse livro mas eu não quis ler.

    Não estou com espírito para ler sobre assuntos tão fortes assim. Quam sabe mais para frente.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir
  2. É um livro difícil de se ler, certo? Mas talvez o que a gente precise mesmo é de umas verdades inconvenientes.
    Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, um alemao amigo nosso viveu alguns anos na Africa e disse que lá eles têm tanto preconceito com os branco que chega até ser pior que o preconceito dos brancos com negroa já conhecidos. Que se um branco na redondeza some, ninguém dá conta de nada e a coisa é feia demais. Acho que sempre vemos o africano como pobre coitado na história. Mas eles tb escrevem uma história de sangue e vinganca.

    Boa semana

    ResponderExcluir
  4. elvira, é um livro difícil mesmo.

    georgia, um dos grandes problemas dos negros na áfrica é que eles sofreram demais sejam com conflitos entre seus povos, seja com os brancos, como na áfrica do sul. que enriqueceram e exploraram os negros por décadas. isso gerou uma violência e ódio desmedido entre brancos e negros. e infelizmente os negros se rebelam como acham que deve ser e a violência deve ser realmente insuportável. infelizmente os brancos se acharam superiores por décadas, agrediram, mataram, violentaram, segregaram, deixaram negros passando fome, na total miséria, enquanto viviam com riqueza, que hoje a situação se inverteu e deve ser assustadora.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Eu já assisti Casablanca.. Na verdade, foi no colégio hehe.. Faz algum tempo....Vou assistir Os Desafinados e Linha de Passe (esse promete). Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  6. Olá Pedrita!
    Embora haja diversas obras do escritor sul-africano J.M.Coetzee editadas em Portugal ainda não lemos nenhum livro dele.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  7. fabiotv vc vai amar os desafinados, esse tb promete.

    paula e rui, é indigesto, mas incrivelmente bem escrito e intenso.

    ResponderExcluir
  8. Pedrita, vou tentar pela 3a.vez deixar o meu comentário. Desta vez vou escrever menos para a net nao ir a baixo como das outras vezes.

    Sou como a sua irma, também gosto de ler autores com o Prémio Nobel.

    A "Desonra" nao li. Aqui foi um livro que teve uma grande popularidade. As críticas foram fantásticas.

    Do J.M.Coetzee li: Der Junge ~ Eine afrikanische Kindheit
    que traduziria como "O rapaz"
    Uma infancia africana
    e
    "Zeitlupe" traducao: "Retardador".
    Este último também nao foi fácil.

    Saudacoes de Düsseldorf!

    ResponderExcluir
  9. puxa, que chato que os comentários não saíram. quando escrevo muito, antes de publicar eu copio pra poder colar depois, já levei banhos assim como vc tb. eu peguei a mania da minha irmã. fui contagiada :) agora nós avisamos uma a outra quando compramos alguma obra de autor nobel. pra nos emprestarmos depois. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  10. Só para deixar registrado: acabei de comprar por R$ 5,00 em um sebo o livro "O vale dos demônios", de Czeslaw Milosz, prêmio Nobel de 1980. OOOBAAAA....

    ResponderExcluir

Bons comentários!