domingo, 30 de janeiro de 2011

Che

Assisti Che - Parte Um (2008) de Steven Soderbergh no Telecine Cult. Não sabia que tinha uma segunda parte feita na mesma época que quero ver agora. Queria muito ter visto no cinema. Benício Del Toro está magnífico como disseram. Começa em preto e branco, nos Estados Unidos, onde o Che Guevara vai dar uma entrevista. Sem ordem cronológica exata, Che detalha o início da revolução. Não sabia que Che era médico e argentino.No início inclusive é ele que cuida dos doentes. Depois que outro médico se une a revolução e o Che passa a ter outra funções de preparar revolucionários, resolver conflitos. O filme é baseado no livro de memórias do próprio Che Guevara.

Eu sabia que o Rodrigo Santoro está no elenco, ele aparece logo no começo. Quem interpreta Fidel Castro é Demián Bichir. Julia Ormond interpreta uma americana. O elenco é grande, já que o Che passa por vários grupos: Ramon Fernandez,  Catalina Sandino Moreno, Jose Caro,  Jsu Garcia,  Roberto Santana, entre tantos outros. Che ganhou 2 prêmios Goya de Melhor Ator (Benicio Del Toro) e Melhor Direção de Arte e prêmio de Melhor Ator (Benicio Del Toro), no Festival de Cannes.

Beijos,
Pedrita

7 comentários:

  1. Eu achei essa primeira parte bem melhor do que a segunda.

    ResponderExcluir
  2. belo filme, Pedrita, e ainda tem trilha sonora com Mercedes Sosa. Beijos, querida

    ResponderExcluir
  3. Eu li a biografia de Che, um livro gigante e maravilhoso! Apesar de eu achr que a "revolução" de Cuba ter virado uma grande presepada que deu lugar a um ditador do calibre de Fidel, o livro e a história de Che é fascinante!
    E Benício del Toro é um charme, né?
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Ele mudou a história, pena que Fidel, um ditador que todos nós conhecemos dominou e manipulou o povo daquele jeito.

    Bjao

    ResponderExcluir
  5. ele tambem era fotografo e muito mulherengo...

    ResponderExcluir
  6. Norbert ELIAS, tudo de bom num academico....

    ResponderExcluir
  7. ana maria, eu vou tentar ver a segunda. eu acho q na verdd a teoria é melhor sempre q a prática, então a luta por um ideal é sempre mais apaixonante. a realidade depois, qd se distorce tudo, não deve ser tão interessante.

    anamaria, realmente a trilha sonora é linda.

    la socière, quero ler a biografia do che.

    meninas - o problema é q a instituição do comunismo foi com outra ditadura. saiu a de direita entrou a de esquerda, e ditaduras são sempre opressivas, violentas e impedem a livre expressão.

    fatima, achei estranho eles só insinuarem q ele tenha se interessado por uma garota, ficou artificial.

    ResponderExcluir

Bons comentários!